Sexo Tântrico: o que é e como praticar

O sexo tântrico está entre umas das alternativas mais visadas por casais que, com a correria do dia a dia e a falta de tempo até para o sexo, estão pisando no freio e buscando novas formas de incrementar a relação, e assim curtir mais um ao outro.

Provavelmente você já deve ter escutado – e muito – esse termo por aí: sexo tântrico. Mas, sabe o que significa ou de onde vem?

 

Banner Pomada do Dração e do Tigre

O que é Sexo Tântrico?

sexo tãntrico

O sexo tântrico é uma prática baseada na filosofia Tantra, originária da Índia e com mais de 5 mil anos de existência, que tem como principal conceito o de que, no início, o ser humano era apenas um, que se dividiu em dois (homem e mulher), para que as duas metades buscassem o equilíbrio por meio da união sexual.

O Tantra, ao contrário do que muitos pensam, é um conjunto de práticas que não necessariamente envolvem o sexo. Contudo, quando ele acontece, procura transcender os limites carnais, tornando-se assim algo espiritual.

As relações sexuais tântricas costumam durar ao menos duas horas, isso porque o foco não é o orgasmo, este que é tido como uma consequência do ato e não como finalidade. O que torna o prazer muito intenso.

A prática do sexo tântrico, dentre os vários pilares dessa filosofia, promete um maior desenvolvimento humano espiritual, corporal e, portanto, sexual. Além disso, propõe que o casal estabeleça uma conexão entre si através da troca de energia sexual e expansão da consciência.

Essa experiência transcendental é conhecida por ser longa e proporcionar “hiperorgasmos”, um êxtase de prazer ilimitado e muito mais poderoso que um orgasmo comum. Outro detalhe interessante do sexo tântrico é que os homens conseguem ter orgasmos sem ejacular durante o sexo tântrico. porque o sêmen tem valor energético e, por essa razão, não pode ser desperdiçado.

Para vivenciar as técnicas do sexo tântrico, primeiro é necessário ter preparação mental. Logo, são mais fáceis para aqueles que já estão familiarizados com meditação e relaxamento. Você e o (a) seu (sua) parceiro (a) devem melhorar a ligação e intimidade entre ambos, bem como desenvolver a perda do foco apenas na região genital durante a transa.

 

Como incorporar o sexo tântrico no relacionamento?

Como incorporar o sexo tântrico no relacionamento

Embora o sexo tântrico seja mais fácil para os praticantes de meditação e que estão habituados com esse estilo de vida, também é possível introduzi-lo na sua relação. Mas, para isso, é preciso investir em treinamento. Uma vez que os adeptos dessas técnicas têm consciência corporal mais desenvolvida.

Veja abaixo algumas dicas de como iniciar no sexo tântrico e alcançar o máximo do prazer com o (a) seu (sua) parceiro (a)!

 

1 – Além do carnal 

O primeiro passo para começar no sexo tântrico é entender que este representa união espiritual. A percepção, tanto do seu corpo quanto do(a) seu (sua) parceiro (a), é menos genitalizada, e mais concentrada nos prazeres do encontro.

Talvez pareça um pouco complicado de início, principalmente se não estão acostumados com esse estilo de sexo. Por isso, uma ideia interessante é buscar por cursos especializados na área, para ter uma compreensão maior sobre o assunto.

 

2 – Respire, expire 

Um dos princípios mais importantes do sexo tântrico é a respiração, que você e seu (sua) parceiro (a) precisam aprender a controlar.

Para isso, há um exercício bem fácil: sentados um de frente para o outro, concentrem-se na maneira como o outro respira e mantenham o mesmo ritmo, relaxando ao máximo. Enquanto um inspira, o outro expira.

 

3 – Proximidade é essencial

Apesar de não haver posições certas ou erradas no sexo tântrico, as que mantem proximidade e expressem afeto e cuidado um com o outro, são muito recomendadas. Isso porque a proximidade é essencial para que a relação seja proveitosa e dure mais.

 

4 – A mulher no controle 

No Tantra, é a mulher que comanda o ritmo do sexo responsável por conduzir o homem as experiências dos prazeres espirituais. Ou seja, é ela que melhor sabe como estimular ou retardar a ejaculação.

Por isso, posições nas quais a mulher fica por cima do homem, permitindo mais contato com o “Svadhisthana Chackra” que, no sexo tântrico, seria equivalente ao chamado “Ponto G” também são as mais sugeridas.

 

5 – O orgasmo é consequência 

No sexo tântrico, o orgasmo não deve ser visto como um objetivo e sim como a consequência do ato. Ele não tem de durar mais e sim acontecer mais vezes, sem a necessidade de parar para recomeçar. Inclusive para o homem.

Banner E-book Kunyaza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *