O que é fisting?

No que se refere a sexo, existe uma infinidade de fetiches que muitas pessoas não conhecem, e entre eles está Fisting. Esse termo não é muito usado, à não ser por quem pratica, e por essa razão acaba passando despercebido. No entanto, ainda que muitos não saibam qual é o seu real significado, provavelmente já viram em algum filme pornô com uma pegada mais “hardcore”.

Mas, afinal, o que é Fisting? Bom, em poucas palavras, o Fisting (ou fist fuck/fist fucking) é uma prática sexual que consiste em enfiar a mão e o antebraço na vagina ou ânus do parceiro. Quem pratica, diz que é a maneira mais intima e completa de tocar outra pessoa e que, se feita de modo correto, é capaz de proporcionar sensações intensas de prazer. Isso porque a distensão dessas regiões – vagina e ânus – estimula ainda mais as terminações nervosas e causa um prazer maior do que o normal.

Sem contar o sentimento fantástico de abertura e conexão que garantem sentir com seus parceiros, o que potencializa a fantasia do momento.

Banner Pomada do Dração e do Tigre

Apesar de ser considerada um tabu, a prática do Fisting é mais comum do que parece, tanto que são vários os filmes que abordam e usam essa técnica como um elemento à mais de prazer durante as cenas. Além disso, é também uma prática bastante democrática, uma vez que todos podem praticar. Seja hetero, homo ou bissexual.

Como praticar o Fisting

Por distender regiões tão sensíveis como a vagina e o ânus, o Fisting deve ser trabalhado devagar e gentilmente. Ou seja, nada de sair enfiando a mão e/ou o antebraço sem preparação. Além disso, é preciso ter cuidado quanto a higienização, pois há riscos de contrair doenças sexualmente transmissíveis.

A seguir, separamos algumas dicas de como praticar o Fisting e todos os cuidados necessários para que a experiência seja muito prazerosa.

  1. O primeiro passo antes de realizar o Fisting é cortar e lixar bem todas as unhas, até que estejam bem lisas. Como a mão estará em um lugar bastante sensível, esse cuidado é essencial para prevenir danos;
  2. Para quem será penetrado, é essencial fazer a limpeza da região (principalmente ser for o ânus). Nesse caso, fazer a chuca é uma opção;
  3. É necessário usar luva de látex para que não haja um contato direto com as mucosas da vagina e do ânus, e assim evitar a transmissão de DST’s e também outras doenças que possam surgir das bactérias das unhas;
  4. Usar MUITO lubrificante! Muito mesmo! Lambuzar a mão e a região que será penetrada com bastante lubrificante é importante para não causar tanta dor;
  5. Essa técnica exige muita confiança e diálogo entre o casal, já que a pessoa precisa estar muito relaxada para conseguir receber a mão e/ou o antebraço;
  6. O segredo do Fisting é ir devagar. Comece com um dedo e vá aumentando. Converse com o seu parceiro, pergunte com ele se sente e então continue;
  7. Você sentirá quando ele(a) estiver no limite, pois os músculos do orifício vão se contrair rapidamente. Nesse momento, EM HIPÓTESE ALGUMA, puxe a mão. Fique parado até que as contrações terminem e só então retire a mão;
  8. Quando você conseguir colocar os cinco dedos, estará quase lá, pois isso vá com ainda mais calma. Se perceber que seu parceiro não aguenta mais, não insista e retire a mão cuidadosamente. Agora, se quiser continuar, deslize as articulações dos dedos enquanto ainda estiver dentro, de forma que o seu polegar dobre dentro dos outros dedos, formando naturalmente um punho (você não precisa apertar a mão ou qualquer outra coisa);

Se você chegou ao nível “máximo” do Fisting, é hora de proporcionar prazer ao seu (sua) parceiro (a). Explore, acaricie, incite. Faça tudo com bastante suavidade, prestando sempre atenção se está machucando ou não. E quando for a hora de retirar a mão, faça isso naturalmente e devagar.

 

Conheça as gírias dos fistee 

Confira abaixo o glossário básico para quem deseja saber mais sobre o fisting e seus praticantes:

– Buttplay: brincar com o ânus da(o) parceira(o), seja com o que for: dedos, mãos, braços, consolos, etc. O Fisting é só uma parte dessa brincadeira toda.

– Barefist: fisting sem luvas. Significa sempre perigo de contato com os fluidos corporais, muco vaginal, restos do enema (xuca) ou até mesmo fezes da fistee. E pode levar à ferimentos com unhas e contágio por fissuras e machucados. Não é nem um pouco recomendado.

– Biga: situação onde um fister enfia as duas mãos, uma em cada fistee, como romanos comandando as rédeas de suas bigas.

– Chain ou corrente: duas ou mais fistees, cada um enfiando a mão no(a) parceiro(a), encadeados.

– Dildo: nome genérico do famoso “consolo”. Os fisteee adoram os gigantes em borracha maciça.

– Enemas ou Duchas: mais do que uma simples lavagem vaginal ou anal preventiva para eliminar quaisquer riscos, feita com clisteres, com água morna e alguma substância anti-séptica apropriada, também pode fazer parte do ritual. Há quem, levando até 5 ou 6 litros de água no intestino grosso, consiga se tornar uma cachoeira humana ao eliminar tudo pelo ânus. Com direito a espectadores admirados.

– Doublefist: duas mãos na mesma vagina ou ânus, de uma mesma pessoa ou de pessoas diferentes.

– Elbowfist: enterrada de braço até mais ou menos pelo cotovelo.

– Exercício Grego: talvez a origem do nome seja porque os gregos sempre foram famosos como loucos por sexo anal, desde a remota antiguidade. Nada mais é do que a auto exploração do ânus, enfiando um dedo , depois o outro e assim por diante, sentindo sua própria dilatação, conhecendo-se mais. Cinco dedos já é um batizado.

– Feetfuck: é o fisting usando um pé. Para proteção, pode-se usar uma camisinha feminina ou forrar tudo com filme plástico.

– Fingerfuck: brincar com os dedos, preliminares para o fisting.

– Fistee: quem faz a parte passiva, que permite ter mãos e braços introduzidos na vagina ou no ânus.

– Fistar: “penetrar” … ou o mesmo que Fisting ou fistfucking, o verbo na forma aportuguesada.

– Fister: significa o parceiro ativo fistador, o que introduz a mão ou braço.

– Budrose ou Rosa: é o que vira um ânus depois de uma sessão de fistfuck. Dilatado e vermelho, ele fica de um tamanho anormal e é uma espécie de “troféu” de empenho.

– Self-Fisting: nada mais é do que fistar a si mesmo. A maioria das fistee pratica no ato da masturbação, e muitos homens também. Geralmente é um primeiro passo pelo qual quase todos que sentem tesão na prática já pelo menos tentaram.

– Sling (ou a “cama de gato”): é uma espécie de cama, presa ao teto com correntes fortes, onde a fistee pode se acomodar e ficar bem solta e relaxada, praticamente suspensa no ar.

Banner E-book Kunyaza

2 Comentários

  1. Coroa sadomasoquista rebenta saco escrotal do escravo sexual disse:

    […] mandona tem vontades muito perversas, como fetiche por pês, ballbusting, bdsm, sadomasoquismo e fisting, obrigando o corno a se ajoelhar pra lamber os pés da […]

  2. homem disse:

    Eu procuro mulher que sinta vontade de ser fistada com jeitinho.
    Quero testar seus limites, te fazer vc gozar sendo alargada
    [email protected]
    Tenho excelente nível, não quero sexo virtual nem drogas nem prostituição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *