Disfunção erétil: saiba mais sobre a impotência sexual masculina

A disfunção erétil, também conhecida como impotência sexual, se caracteriza pela dificuldade em manter uma ereção ou a impossibilidade de conseguir uma. Esse problema, ao contrário do que muitos pensam, afeta 12% dos homens abaixo de 60 anos de idade. Isto é, não se trata apenas de um problema de idade.

Contudo, é um fato que a impotência sexual é mais frequente nos idosos: entre os maiores de 70 anos, o problema acomete cerca de 30% dos homens.

Como ocorre a ereção?

Para entender melhor a disfunção erétil, é preciso entender como a ereção ocorre.

Banner Pomada do Dração e do Tigre

Resumidamente falando, quando o homem recebe estímulos sexuais no homem e fica excitado, o fluxo de sangue na região pélvica aumenta, comprimindo as veias penianas e retendo o sangue no corpo cavernoso, é desta forma que o pênis fica ereto. E a ereção só é interrompida depois que o cara goza.

Complicado, não é?! Mas, pense da seguinte maneira: o pênis é parecido com um balão vazio. Quanto mais o balão é preenchido com ar, maior e mais firme ele fica, certo?! Funciona basicamente assim, porém, o pênis permanece de pé graças à pressão do sangue.

Quando o homem sofre de disfunção erétil, as artérias ligadas ao pênis não ficam abertas o suficiente e o sangue não consegue circular. Por esse motivo não consegue manter ou ter uma ereção, e desta forma, gozar fica muito difícil ou até mesmo impossível, dependendo do caso.

Quais são os sintomas?

O principal sintoma da disfunção erétil é a incapacidade de conseguir ou manter uma ereção. Não importa quantos estímulos o homem receba, o pênis simplesmente não fica ereto o suficiente para uma relação sexual satisfatória.

O que causa a disfunção erétil?

Abaixo, veja algumas das causas que podem levar a disfunção erétil:

⦁    Doenças hormonais (diabetes, queda de testosterona, problemas endócrinos);

⦁    Doenças neurológicas (lesões na medula, mal de Alzheimer e Parkinson);

⦁    Distúrbios psicológicos;

⦁    Doenças vasculares, que entopem das artérias e veias, prejudicando a chegada do sangue ao pênis (hipertensão arterial, aterosclerose);

⦁    Cirurgias pélvicas;

⦁    Doença de Peyronie ou fibrose dos corpos cavernosos;

⦁    Consumo excessivo de medicamentos;

⦁    Alcoolismo e tabagismo.

Além disso, outros fatores de risco também podem contribuir com a impotência sexual do homem como a diabetes, a obesidade e o sedentarismo.

Para aqueles que sofrem com doenças cardiovasculares, o risco é ainda maior. Isso porque o pênis necessita de um enorme aumento do fluxo de sangue para ficar ereto, e quando a circulação é comprometida, a disfunção erétil pode aparecer.

Problemas ou situações mexem com a autoconfiança do homem (desemprego, crises financeiras, luto na família) também podem afetar a potência sexual. Ou seja, não é apenas o envelhecimento ou problemas de saúde que causam a disfunção erétil.

Como é o tratamento?

Antigamente, o tratamento da disfunção erétil era realizado através de uma injeção de fentolomina, substância capaz de fazer essas artérias abrirem e o sangue jorrar para a região pélvica. No entanto, o efeito era imediato e o homem saia do consultório médico pronto para a ação. Imagina só o quão vergonhoso isso deveria ser?! Sem contar que o método era pouco eficiente a longo prazo.

Hoje em dia, o tratamento da disfunção erétil começa com a identificação e controle dos fatores de risco. Por exemplo, se o homem for diagnosticado com hipertensão arterial, ela precisa ser tratada. Só depois que o problema em si (a disfunção) é tratado, com a ajuda de medicamentos indicados pelo profissional.

Vale destacar que o diagnóstico é eminentemente clínico, ou seja, o médico chega a esta conclusão conversando com o paciente. Isso quer dizer que a busca por ajuda médica é indispensável.

Falhas esporádicas de ereção acontecem com a qualquer homem. Entretanto, quando a ereção não é satisfatória e isso se repete com frequência, vale a pena procurar ajuda médica.

*Obs.: em hipótese alguma, o tratamento deve ser feito seguindo receitas caseiras ou por automedicação. A procura de um profissional é fundamental!

Banner E-book Kunyaza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *